About Sony's return to mobile phones market

Há mais de uma década que todos ouvimos falar da japonesa Sony, uma das grandes produtoras de electrónica de consumo, com provas dadas na área da televisão, música, fotografia e vídeo, cinema, bem como PC e videojogos. Todos conhecemos algum exemplo, certo?
Para além disto tudo, a Sony também fabricava telemóveis. Poucos modelos cheguei a conhecer à venda em Portugal.
Eis que em 2001 tudo muda, quando une forças com a sueca Ericsson, criando a Sony Ericsson, produtora de muito bons telemóveis no início, mas com a sua performance a diminuir ao longo do tempo... Principalmente quando a corrida ao mercado mundial de smartphones começou em 2007, com o lançamento do primeiro iPhone pela Apple. Altura a partir da qual, curiosamente, os telemóveis começam a ficar cada vez mais baratos, gerando uma maior competitividade: afinal, há que manter sempre um compromisso entre a funcionalidade e um preço justo! 
Sendo eu desde cedo um amante de tecnologia e gadgets, toda esta série de acontecimentos não me foi alheia.
Até há bem pouco tempo a Sony Ericsson fabricava sobretudo modelos Android, com bom desempenho geral mas que falhavam em alguns aspectos. Na minha opinião, a interface que corria por cima do sistema operativo não era perfeita e o telemóvel tornava-se muito, muito lento, e um processador suficiente para tudo o que o dispositivo tem para oferecer é essencial. O teclado virtual era, também, muito apertado para usar fluentemente.
Sendo Android, pode personalizar-se (quase) tudo, mas permitam-me a sinceridade: um smartphone usa-se, actual e maioritariamente, para aplicações, mas quais são as funcionalidades-base que um cliente procura? Comunicações móveis - como chamadas, SMS, dados móveis para MMS e Internet móvel. Logo, mesmo com todas as facilidades disponíveis, penso que é ideal um bom leque de funções base. Afinal, vivemos numa época de tecnologia já bastante avançada e onde se acede a tudo com uma crescente rapidez, não é?
Ora recentemente, segundo o que averiguei, reparo que a Sony comprou a parte da parceria pertencente à Ericsson - o que eu acho muito bem, tendo em conta a experiência, fiabilidade e polivalência da primeira.
Afinal, um smartphone reproduz música e filmes, captura imagens, permite o acesso à Internet em movimento, é dotado de avançadas tecnologias de jogabilidade portátil... Sensato, na minha óptica. 
E pelos vistos o objectivo e técnica da Sony são equiparar-se com os principais fabricantes de smartphones e tablets, como a Apple e a Samsung. A estratégia promete: uma gama de tablets, bem como os smartphones que vos passo a mostrar: os novos Xperia S, P e U, três modelos dentro do mesmo registo em termos de design e que me deixaram algo curioso pelas funcionalidades apresentadas!

Todos os modelos partilham em comum algumas características, tais como:
- Android 2.3 (com actualização brevemente disponível para a versão 4.0);
- Conectividade HSDPA a 14,4 Mbps e HSUPA a 5,76 Mbps;
- Sensores de orientação, proximidade e compasso;
- Suporte para HTML5 e Flash;
- Wi-Fi e GPS;
- Processador dual-core;
- Touchscreen capacitivo;
- Ausência de suporte para cartões de memória.





Começo pelo Xperia S, o topo de gama desta nova fornada! Apenas disponível em preto e em branco, dotado de um ecrã de 4,3" com 1280x720 pixels de resolução, multitoque até 10 dedos e tecnologia Mobile Bravia Engine, bem como de uma reduzida espessura (10.6mm). Pesa 144g. 
Quanto à máquina fotográfica, tem 12 megapixels, autofocus e led flash, estabilizador de imagem, georreferenciação, touch-to-focus, panorama e detecção de rostos e sorrisos (e a câmara frontal é de 1,3MP).
Grava vídeo HD a 1080p, possui estabilizador de vídeo, autofocus contínuo e luz de vídeo.
A velocidade de processamento é de 1,5GHz, uma velocidade de topo actualmente. No que toca ao armazenamento, conta com 32GB de memória interna e 1GB de RAM.








De seguida trago-vos o Xperia P. Pesa 120g, tem 10,5mm de espessura, 4.0" de ecrã com 560x940 pixels e multitoque para 4 dedos. Possui 16GB de armazenamento interno (1GB de RAM) e o mesmo processador do S, embora de (apenas) 1GHz, uma câmara de 8MP com todas as funcionalidades do S, excepto o estabilizador de vídeo e a câmara secundária, que é VGA e não grava vídeo (pelo menos em HD). 
Está disponível em preto, silver e vermelho.









Este é o Xperia U, para mim o modelo mais engraçado e mais vistoso, pelo facto de podermos personalizá-lo ao nosso gosto, trocando a cor da parte de baixo (o modelo pode ser adquirido em preto ou branco). Pesa 110g e tem um ecrã com 3,5" com resolução de 450x854 pixels. A câmara principal é de 5MP, grava vídeo HD a 720p e tem luz de vídeo; a secundária apenas VGA (pouco para o standard habitual, mas a verdade é que esta câmara acaba por não ser frequentemente utilizada!)
O processador é o mesmo do P e conta com tecnologia de som surround 3D. Apenas tem 4GB de memória interna e 512MB de RAM.





Por último, e não menos importante, mostro-vos o Xperia Watch, um relógio especialmente concebido para estes modelos e que conta com, para já, 255 widgets de interacção com os dispositivos em si, a fim de os tornar mais user-friendly. A cor da bracelete é personalizável (existe rosa neon, para as meninas!). A autonomia anunciada é compreendida entre os 4 e 7 dias. 
Tem um ecrã OLED de 1,3" e liga-se aos Xperia via Bluetooth. Uma curiosidade interessante sobre o Watch é o facto de, com ele, podermos visualizar a imagem mostrada pela câmara do telefone em tempo real.

Embora não precise de um telemóvel novo actualmente, falei destes 3 modelos porque me chamaram a atenção, e caso surgisse tal necessidade, a minha escolha recairia certamente numa destas propostas!



Hope you like it!

5 comentários:

  1. Já sabes para mim é o S tá ok??
    Se quiseres envio-te a morada :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahah já sabia que ias gostar deste post nette! :p

      Eliminar
  2. Bem... o relógio tem que se lhe diga! Estou já a imaginar o Daniel Craig a utilizá-lo no próximo filme do 007. ;)

    ResponderEliminar

Thanks for your time!